Terreno da ’Cidade do Samba 2’ tem palacete e galpões tombados

Além do Palacete que teve como última ocupação a sede da Osklen, no terreno ainda existem chaminés tombadas e galpões históricos da época do Barão de Mauá. O conjunto estava sendo anunciado no mercado por 50 milhões de reais

Em matéria exclusiva do DIÁRIO, revelamos a desapropriação pelo prefeito Eduardo Paes de um terreno composto por um grande quadrilátero de terras que dão frente para a Avenida São Cristóvão e para as ruas Escobar, Zeferino de Oliveira e Benedito Ottoni, em São Cristóvão, juntinho à Zona Portuária. O objetivo da desapropriação seria a construção da Cidade do Samba 2.

Em 2021, o Prefeito disse: “Sambódromo vai continuar homenageando o grande brasileiro Darcy Ribeiro. Quero muito ter recursos para fazer a Cidade do Samba 2 para as Escolas do grupo de acesso. Já estamos detalhando o orçamento. Essa vai se chamar Laíla”. Na ocasião o alcaide havia dito que o novo equipamento ficaria em um terreno que a Prefeitura do Rio teria comprado do Exército, no seu último governo, e que fica entre a Quinta da Boa Vista e o Maracanã, na Zona Norte da cidade.


Mas, decidiu fazer diferente e arrematar o terreno da Companhia da Luz Esteárica, que vinha sendo anunciado por 50 milhões de reais. Corretores consultados pela reportagem deram conta de que os proprietários analisavam propostas de duas empresas construtoras que vêm apostando grandemente na região, com o objetivo de construir no local prédios de apartamentos. Além disso, uma grande cervejaria e uma das maiores boates de São Paulo estudavam locar o espaço por longo prazo. Ainda não se sabe o valor que a prefeitura pagará pelo terreno, mas, pela lei, deve pagar ”justa indenização”, ou seja, valor de mercado.

Mas, além do grande terreno – que surgiu vazio assim há cerca de 10 anos, com a demolição de vários prédios e galpões que existiam no local – no local ainda existe uma pequena pérola da Zona Norte: o Palacete Zeferino de Oliveira, um dos mais bonitos imóveis tombados da região, que sediava as reuniões de diretoria do Moinho da Luz, que funcionou no local por quase um século e cujas origens remontam ao Barão de Mauá, Irineu Evangelista de Souza, maior empresário brasileiro do século XIX. O palacete histórico tem dois andares de pé direito imponente e fica bem na esquina das ruas Benedito Ottoni e Zeferino de Oliveira, e chama atenção de quem passa pela região. Aliás, Benedito e Zeferino eram executivos da companhia sediada no imóvel!

Antiga Fábrica da Luz Esteárica. Apenas uma pequena fração do terreno ainda contém edificações tombadas


O Palacete, em estilo neoclássico, foi também sede da Osklen, de onde despachava o empresário Oskar Metsavaht, fundador da grande marca de moda carioca. A Osklen foi inquilina da atual proprietária do quadrilátero composto pelo terreno baldio, alguns galpões históricos precisando de reforma (mas com linda fachada) e o Palacete, que está praticamente em perfeito estado, com lindos vitrais europeus. Além disso, as históricas chaminés da Fábrica da Luz Esteárica ainda se encontram preservadas e também são tombadas.

Segundo informações dos anúncios de locação que vinham sido publicados no jornal O Globo, os galpões históricos estariam precisando de reformas mas ainda assim estão sólidos e teriam espaço generoso, ainda que muito inferior à parte livre do terreno, que pode receber edifícios de 6 a 8 pavimentos. “Uma reforma de fachada deixaria os galpões históricos em perfeito estado”, diz um dos anúncios. Tivemos acesso à uma foto antiga que comprova a beleza das edificações em seu estado original, em comparação a seu estado atual. Os belos galpões com fachada eclética e muita cantaria se estendem pela Av. São Cristóvão até metade do quarteirão da Benedito Ottoni.


Há tempos tentava-se saber o porquê da desapropriação do terreno e dos belos imóveis históricos. Numa audiência pública da Secretaria Municipal de Transportes, o vereador Pedro Duarte (Novo) inquiriu sobre a razão da desapropriação à secretária da pasta, Maína Celidônio, que deixou claro que o assunto do terreno não é de sua esfera de atuação e que não sabia do que se tratava. Duarte também submeteu formalmente um requerimento de informações (número 2158/22) exigindo saber qual o destino do imenso espaço, mas não recebeu qualquer resposta.

Uma vez confirmado o segredo que estava guardado a sete chaves pela Prefeitura, resta saber se irá respeitar a história industrial do Rio de Janeiro e, em se confirmando a desapropriação anunciada pelo decreto de agosto, restaurará à sua antiga glória o que resta de um dos maiores impérios da Belle Époque carioca. O terreno baldio é imenso, e os imóveis históricos ocupam uma pequena fração dele. Pelo visto, no Rio, até o maior conglomerado industrial da história do Brasil terminará em Samba.

Advertisement

13 COMENTÁRIOS

  1. Pelos comentários recebidos o carnaval tem que ser realmente repensado, já que o benefício gerado em uma semana não condiz com o montante de gastos durante um ano inteiro. Só quem lucra são os beneficiários, empresários do ramo hoteleiro e turístico, que podem gerar valor para a cidade, mas na dívisão de lucros e perdas, eles ficam com a parte boa e a sociedade não recebe ou tem percepção de retorno. Não por acaso até a audiência de TV migra para outras atrações e com isso o carnaval está cada ano mais esvaziado. E o Rio acredita que tudo se resolve em festa.

  2. Assino embaixo. A Cidade aos frangalhos, buracos, sujeira, pessoas perambulando pelas ruas, mendigagens, comércio ilegal nas calçadas, calçadas esburacadas. A maioria dos pontos turísticos sem sinal (muito menos com sinal em outros idiomas), decadência à olhos vistos para chamar turistas para visitar, e ainda vender algo pra ele. Riotur hoje, é um site com fotinhas para turistas, o turismo municipal não é levado a sério, sem pessoas qualificadas. Guardas municipais, onde estão? Tudo à cargo da polícia. E o Prefeito Eduardo Paes só pensa em fazer negócios, para melhorar a vida das escolas de samba? Na certa encher os bolsos enquanto é tempo, pois do que se sabe, toda vez que lida com cheque gordo, tem pixuleco. Gente, tá na hora de começar a dar tchau à esta desadministração. Já deu.

  3. É o fim do cú do mundo um investimento dessa grandeza só para sambar uma semana, é fóda, e os bairros no subúrbios em frangalhos triturados de tudo q é mazelas, esse paes um grande canalha, esse mérda destruí a cidade com Brt’s, av Brasil q o diga. Desvalorizou bairros a zero!

  4. Concordo inteiramente que o RJ deveria priorizar o turismo, pois uma cidade linda como é, pode viver muito bem do turismo…Só que está havendo alguns enganos nessa trajetória, pois em primeiríssimo lugar devemos oferecer aos visitantes algo básico que não oferecemos que são: SEGURANÇA – uma cidade que 2 turistas são roubadas e agredidas em plena praia de Copacabana é bizarro. LIMPEZA – a cidade fede a urina, resultado da população de rua, má educação em geral, má limpeza e má fiscalização TRANSPORTES PÚBLICOS – péssimos, para dizer o mínimo…o turista já é roubado no aeroporto, no porto ou na rodoviária pela máfia dos táxis e segue o calvário por ônibus, trens e barcas inseguros, caros e ruins. Já viajei para vários países vizinhos, além de estados pelo Brasil e NADA foi igual ao que vejo os turistas passarem aqui. Cidade do Samba 2? Sou a favor, é claro, mas será que não tem coisas mais importantes para a prefeitura e o estado fazerem? Será que essa Cidade do Samba não pode ser feita e explorada pela iniciativa privada? Já segurança, limpeza e transportes são serviços de estado e devem ser feitos pelo estado.

  5. NÃO HÁ OUTRA PRIORIDADE PARA O RIO DE JANEIRO, que não seja o carnaval. O carioca é um atrasado, que não entende que a vocação natural da cidade é o turismo. Não sabem, ou fingem não saber, que é uma INDÚSTRIA DO RAMO DO ENTRETENIMENTO que movimenta milhões, emprega milhares de pessoas – direta e indiretamente – contribui com impostos e estimula a economia local e, consequentemente, do estado.

    Esse mesmo carioca propaga um discurso atrasado, fraudulento, que diz ser de “direita” ou “esquerda”, duas vertentes políticas que se mostraram igualmente corruptas e incompetentes! Critica a violência, o tráfico de drogas, a corrupção, mas fura filas, pede um amigo da administração pública para “dar uma ajudinha” num processo e dá seu “tapinha na branquinha” regularmente!

    Hipócritas!

    O CARNAVAL É INDÚSTRIA! DEVE SER ESTIMULADO COMO TAL! Estar acima de frescuras sociais, religiosas e de grupos. Ser administrado profissionalmente, enchendo hotéis, pousadas, bares, restaurantes, táxis… Por isso que o crime organizado beneficia-se do mesmo: não perde tempo com besteiras e o usa para estender seus negócios.

    E se tiverem cabeça um dia, estimulem as demais festas o ano inteiro, para que o Rio seja visto como cidade turística, que vale a pena visitar e nele gastar dinheiro.

    E se os egos pseudo-políticos e religiosos deixarem, comecem a encarar seriamente a liberação de cassinos, que também movimentam a economia, geram empregos e atraem gente de fora!

    Fui!

  6. De Ed Paspalho (gostei da alcunha) não pode se esperar outra coisa. O Carnaval é importante para cidade! Mas, no momento atual há outras prioridades. Se ele não sabe a gente elenca para ele. Pobre cidade do Rio de Janeiro. Sai um idiota religioso. Entra um paspalhao.

    • Gosto mais do apelido “Nervosinho”, das planilhas de propinas da Odebrecht. Do Eduardo Paes só pode ter angú nesse caroço…negócio entre compadres, é óbvio, enquanto isso ele deu 6% de reajuste ao funcionalismo, quando as perdas chegaram 30%. Faz o L vc servidor que votou no Mula.

  7. Seria melhor a restauração dos palacetes para museus , sarau literário, coisas que dignificam a população. Leitura e conhecimento é o que menos importa para essas ditas autoridades. E assim a juventude desce ladeira.

    • Negra Lu, e criticaram o Bolsonaro por que ele não construiu nenhuma biblioteca, né? Como se o nosso povo passasse o dia inteiro lendo nas blbliotecas e desse valor aos livros. Piada. Mas agora, com o soldado do Mula na prefeitura, quero ver ele inaugurar 1 biblioteca por semana, pra mostrar que eles fazem aquilo que pregam. Na real, pro Paespalho o mais importante é o samba no pé e ter botecos espalhados pelo centro da cidade pro povo encher a cara, são mais importantes que leitura e saraus. Skindô, Skindô…

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui