Vereador e dirigente do Flamengo, Marcos Braz, será ouvido no Conselho de Ética da Câmara do Rio

O parlamentar prestará esclarecimentos na próxima terça-feira (26/09) e poderá ter o salário descontado por conta da ausência em votação urgente

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Marcos Braz durante sessão na Câmara Municipal do Rio de Janeiro - Foto: Renan Olaz/CMRJ

O vereador e vice-presidente de futebol do Clube de Regatas do Flamengo, Marcos Braz (PL) será ouvido, na próxima terça-feira (26/09), pelo Conselho de Ética da Câmara Municipal do Rio. Isso ocorre após ter sido flagrado envolvido em uma briga com um torcedor no Barra Shopping, na Zona Oeste do Rio. Este incidente ganha ainda mais relevância devido à sua coincidência com uma votação na Casa Legislativa.

Na data mencionada, o parlamentar chegou a fazer um pré-registro de presença na Câmara do Rio, contudo, não compareceu para cumprir suas obrigações legislativas. Em meio a sessão, que tratava de uma discussão sobre a autorização da Prefeitura do Rio para contrair um empréstimo significativo de R$ 702 milhões junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o painel de votação exibiu um sinal de interrogação ao lado de seu nome.

A vereadora Teresa Bergher, membro e idealizadora do Conselho de Ética da Câmara do Rio, solicitou esclarecimentos sobre o caso e afirmou: “Além de ouvi-lo sobre a briga, precisamos que ele explique por que registrou presença na sessão, se estava em um shopping a 30 quilômetros da Cinelândia.

Em resposta imediata a esses acontecimentos, a Câmara Municipal do Rio também emitiu uma declaração destacando que: “Os parlamentares podem registrar presença de forma virtual entre às 13h30 e 16h, quando os vereadores fazem seus discursos. No entanto, após o início da Ordem do Dia, a partir das 16h, é necessária a votação presencial. Como o vereador estava ausente durante a votação, o sistema registrou falta para o parlamentar.

Advertisement

A punição prevista para o parlamentar e dirigente de um dos principais clubes de futebol do país é a dedução de um dia de seu salário, como consequência de sua falta, até então não justificada.

Entenda o Caso:

Marcos Braz encontrava-se em uma joalheria no Barra Shopping, na Zona Oeste do Rio, quando foi confrontado por um torcedor do clube carioca. O torcedor expressou sua frustração com o atual desempenho da equipe, que havia sofrido duas derrotas consecutivas, uma contra o Athletico-PR no Campeonato Brasileiro e outra diante do São Paulo na Copa do Brasil.

O dirigente, irritado com a abordagem, e um segurança particular agrediram o torcedor. A situação foi registrada em um vídeo que rapidamente se tornou viral nas redes sociais. Marcos Braz, então, retornou à loja, que precisou ser fechada, e deixou o local sob escolta policial.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Vereador e dirigente do Flamengo, Marcos Braz, será ouvido no Conselho de Ética da Câmara do Rio
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui