Witzels e Pedro Fernandes nas eleições 2022

Wilson Witzel quer a esposa Helena deputada federal, e o filho Erick deputado estadual. E Pedro Fernandes volta atrás e deve ser candidato a deputado federal

Reprodução Internet

Veja só, o ex-governador Wilson Witzel pode ter sido escanteado da política, mas ele ainda crê ter força eleitoral: de acordo com o jornalista Cláudio Magnavita, do Correio da Manhã, ele quer ver sua esposa, Helena Witzel, como deputada federal, e seu filho Erick Witzel, como deputado estadual. E parece crer que seu sobrenome será um grande impulso.

A chance de eleger qualquer dos dois nos parece ser próxima de zero. É impossível encontrar uma única pessoa que defenda Witzel. Era um desconhecido, surfou no Bolsonarismo, traiu Bolsonaro, foi alijado do poder em virtude de denúncia de corrupção no meio da mais grave pandemia das últimas gerações e ainda foi o primeiro governador do Rio a sofrer impeachment. Se nem os filhos de Picciani e Cabral conseguiram se eleger em 2018, imagine os familiares de Witzel.

Pedro Fernandes deputado federal

Magnavita também diz que o ex-deputado estadual Pedro Fernandes, que chegou a passar uns dias preso por supostos desvios na Fundação Leão XIII, (na época ele era secretário de educação do mesmo Witzel) será candidato a deputado federal pelo PL, provável futuro partido do atual governador Claudio Castro.

Sempre bom notar que em novembro de 2020, depois de passar um mês preso, Fernandes chegou a dizer que abandonaria a política. Mas logo e bem rapidinho começou a aparecer em eventos ao lado do prefeito Eduardo Paes.

Caso vença, o que é bem possível, será o primeiro Fernandes em Brasília. Seu avô, Pedro Fernandes, foi um eterno deputado estadual, muito querido nas circunvizinhanças de Irajá; já sua mãe, Rosa Fernandes (PSC) mantém há décadas a cadeira de vereadora. Enquanto isso, na Alerj, tem um fake Fernandes, o deputado Sérgio Fernandes (PDT), que na verdade é um ex-assessor de Pedro e Rosa, aliado deles dos mais fiéis.

Novatos e Downgrading

O sempre bem informado Magnavita também coloca como candidato a deputado federal o juiz de futebol, ex-secretário de Witzel e Crivella, além de aliado de Bolsonaro, Gutemberg Fonseca, que viria pelo Patriotas. E ainda cita o apresentador do Bom Dia Rio, Flávio Fachel, como possível candidato ao Senado.

Pelo jeito essa eleição para deputado federal estará recheada de nomes que já tiveram cargos mais altos: será a eleição do downgrade? Na verdade, teremos pelo menos três candidatos a deputado que, em ‘dias melhores’, já ocuparam uma cadeira de Senador: ex-prefeito Marcelo Crivella (Republicanos), o atual vereador e ex-prefeito de Nova Iguaçu Lindbergh Farias (PT) e o atual senador Romário (PL).

Advertisement

1 COMENTÁRIO

  1. Cada um querendo reforçar o poder da sua gangue…
    Ninguém pensa na finalidade precípua de se eleger…
    É vergonhoso e desencorajador contemplar este cenário de aproveitadores e bandidos em busca de se servir de cargos públicos em vez de servir ao país e ao povo.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui