Pedro Fernandes
Pedro Fernandes

Parece que essa semana foi de ir atrás dos candidatos a prefeito do Rio de Janeiro, se na terça, 8/7, Eduardo Paes (DEM) foi motivo de busca e apreensão, na quinta, 10/7, foi a vez de Marcelo Crivella (Republicanos), essa sexta, 11/7, é a vez de Cristiane Brasil (PTB) ser a procurada, e com um mandado de prisão.

Além de Brasil, foi preso o secretário de Educação do estado do Rio de Janeiro, Pedro Fernandes (sem partido) e candidato a governador em 2018 pelo PDT. Filho da poderosa vereadora Rosa Fernandes (PSC), ao receber voz de prisão, Pedro Fernandes apresentou um exame positivo de Covid-19, o que transformou a prisão preventiva em domiciliar.

Ambos os casos estão ligados à Operação Catarata, que investiga supostos desvios em contratos de assistência social. E não tem relação com a atual administração estadual, e sim mau feitos na gestão do ex-governador Luiz Fernando Pezão (MDB). Na 1ª etapa da investigação o MPRJ chegou a prender 7 pessoas suspeitas de fraudar licitações da Fundação Estadual Leão XIII, da qual Fernandes foi presidente. Ele teve uma rápida passagem pelo governo Pezão, Entre janeiro e fevereiro de 2017 foi Secretário de Assistência Social e Direitos Humanos. e de fevereiro a julho do mesmo ano foi Secretário CiênciaTecnologiaInovação e Desenvolvimento Social. E entre outubro de 2017 e fevereiro de 2018, foi Secretário de Assistência Social e Direitos Humanos na gestão de Crivella na Prefeitura do Rio

Com o aprofundamento das investigações na Leão XIII, a força-tarefa afirma que o esquema incluiu órgãos da Prefeitura do Rio — a Secretaria Municipal de Envelhecimento Saudável e Qualidade de Vida e a Secretaria Municipal de Proteção à Pessoa com Deficiência. Cristiane Brasil foi secretária da Terceira Idade na gestão Cesar Maia, e novamente, desta vez com o novo nome, na gestão Eduardo Paes. Que assim tem mais um secretário preso, o outro é Alexandre Pinto, seu secretário de obras.

Os contratos sob investigação, firmados entre 2013 e 2018, custaram quase R$ 120 milhões aos cofres públicos. O MPRJ afirma que sobre os serviços contratados eram cobradas vantagens indevidas que variaram de 5% a 25% do valor acertado.

Até o momento foram presos:

  • Pedro Fernandes, secretário estadual e ex-presidente da Fundação Leão XIII;
  • Flavio Salomão Chadud, empresário;
  • Mario Jamil Chadud, ex-delegado e pai de Flavio;
  • João Marcos Borges Mattos, ex-diretor de administração financeira da Fundação Leão XIII.

Já quanto a Cristine Brasil, seu mandado de prisão fere de morte sua pré-candidatura a Prefeitura do Rio. A filha de Roberto Jefferson estava ligada ao Bolsonarismo, e seria o nome como vice prefeita da chapa com o deputado federal Luiz Lima (PSL). Agora, o PSL pode voltar com a ideia original de lançar Rodrigo Amorim como candidato a prefeito, ou voltar a mesa com outros 2 enrolados na Justiça, Paes e Crivella.

Matéria sendo atualizada conforme surjam novas informações

7 COMENTÁRIOS

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui