Dizem que gato escaldado tem medo de água fria, e este é o caso do prefeito eleito Eduardo Paes (DEM). Durante a campanha teve de aguentar denúncias de corrupção, de sua proximidade com os corruptos notórios, inclusive um que foi seu secretário de Obras. Agora, quem for do 1º escalão vai passar por uma verdadeira lupa do secretário de Governo e Integridade Pública, Marcelo Calero (Cidadania). É o que informa Lauro Jardim/O Globo.

Haverá um questionário de 12 páginas, com perguntas detalhas sobre renda e patrimônio, além de um termo de compromisso. O nomeado terá de declarar que o seu “patrimônio, seja na forma de bens móveis ou imóveis, eventualmente não refletidos na declaração do imposto de renda, inclusive aqueles usufruídos“. E não para por aí, a declaração é maior que a feita ao imposto de renda e inclui: “informar a quantidade de empregados que contrata para atividades domésticas ou de assessoramento direto” e “se possui obras de arte ou antiguidades e informar respectivos valores”, “embarcações ou aeronaves” (com os valores).

E não adianta esconder estes bens de alto valor no nome de filhos ou cônjuges, o futuro membro do 1ºescalão terá que declarar se eles possuem esses bens. E não é só isso, vão ter de responder se possuem cotas de empresas que tenham participado de licitações da prefeitura e se respondem a algum processo ou investigação judicial.

Lauro Jardim também diz que no termo de compromisso, o futuro secretário se obriga a “prestar informações imediatamente sobre qualquer situação nova que venha a surgir com relação às informações prestadas anteriormente à Subsecretaria de Integridade Pública; responder, nos prazos determinados, quaisquer requisições e demandas trazidas pela Secretaria de Governo e Integridade Pública; adotar, sob qualquer circunstância, os mais elevados padrões éticos de acordo com os Códigos de Integridade aplicáveis“.

A gestão de Eduardo Paes, que terá início no dia 01 de janeiro de 2021, já tem os seguintes secretários definidos: Anna Laura Valente (Conservação); Cristiano Beraldo (Turismo); Daniel Soranz (Saúde); Marcelo Calero (Integridade Pública); Pedro Paulo (Fazenda e Planejamento); Salvino Oliveira (Juventude); Washington Fajardo (Planejamento Urbano); Marli Peçanha (Ação Comunitária); Laura Carneiro (Secretaria de Assistência Social), Maína Celidonio (Transportes); Joyce Trindade (Secretaria da Mulher); Renan Ferreirinha (Educação); Bruno Ramos (Centro de Operações Rio); Kátia Souza (Infraestrutura); Vinícius Cordeiro (Proteção aos Animais); Chicão Bulhões (Desenvolvimento Econômico); Daniela Maia (RioTur); Jorge Felippe Neto (Secretaria de Trabalho e Renda).

5 COMENTÁRIOS

  1. Ele vai acabar com o Nepotismo na Administração Pública (???)

    Tem muita cunhada(o), enteada(o), prima(o) pelos corredores dos órgãos públicos.

    Quem ingressa em cargos Comissionados deviam ter o currículo avaliado e as relações sindicadas por uma Comissão cujos integrantes seja servidores concursados, preferencialmente – pois um outro comissionado pode ser chantageado ou pressionado para aprovar as indicações.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui