Arco do Teles, no Centro do Rio, passa por restauração

Prefeitura iniciou restauração do Arco do Teles, na Praça XV, e ação faz parte do projeto de reconversão e conservação das edificações e monumentos existentes no Centro

Foto: Divulgação

O Centro do Rio de Janeiro é um símbolo de história carioca e brasileira e há inúmeras construções centenárias que permitem um aprendizado sobre o país e sobre nossa civilização. Porém, algumas foram prejudicadas pelo tempo e pelo descaso, como é o caso do Arco do Teles, na Praça XV. O local, que é um patrimônio cultural tombado pelo IPHAN desde os anos 30 e sofreu por anos com a falta de conservação, e viu sua majestosa arquitetura ser perdida e esquecida pelas autoridades públicas. Pichações, adesivação ilegal e depredação deixaram a histórica passagem bastante desmerecida.

Contudo, um vento de renovação será dado ao lugar, pois a Prefeitura do Rio de Janeiro, iniciou, na última sexta-feira, a restauração do Arco. A iniciativa acontece pelo decurso de nosso bicentenário. Através do projeto Reviver Centro, o coração do Rio está começando a perder sua cara exclusivamente comercial (que só funcionava 8 horas por dia, e só durante a semana) e entrar em um ritmo diferente, de uso misto, também com moradias e vizinhança ativa, e saem ganhando também os patrimônios históricos do Centro, que irão passar por reformas e restaurações.

O Reviver Centro é uma ação da Prefeitura, sancionada em 14 de julho do ano passado, 2021, e estabelece diretrizes para a requalificação urbana, ambiental e incentivos à reconversão e conservação das edificações existentes e à produção de unidades residenciais. A construção de novas moradias e a transformação de uso de prédios ociosos aproveitam o grande potencial de infraestrutura.

O plano urbano criou alguns incentivos ficais, como a suspensão de dívida ativa e a isenção de IPTU para novos empreendimentos na área e os estímulos deram certos, pois de acordo com Thaís Garlet, arquiteta, urbanista e gerente de planejamento do Centro, em um ano, o número de pedidos de licença para edifícios residências superou todos os registrados na última década. Ao estimular o retrofit de edificações, o plano urbano aponta também para o menor consumo de materiais pela construção civil, gerando impactos positivos em toda sua cadeia produtiva.

“O Reviver Centro é um programa inovador para recuperar o Centro do Rio do esvaziamento em que se encontrava. Nosso objetivo é estimular a retomada econômica, social e cultural da área. Estamos fazendo ações para atrair mais moradores e promover a diversidade de acesso à moradia. Em um ano, já temos mais de duas mil unidades residenciais entre licenças concedidas e pedidos de licenças. Este número é superior ao verificado ao longo dos últimos 10 anos”, afirmou o prefeito Eduardo Paes.

Uma região, no Centro, que vem sendo bastante beneficiada pelo projeto é o Porto Maravilha. Em julho, o Reviver recebeu oito pedidos de licença para a construção de prédios residenciais na região. A construção dos empreendimentos resultará em 4.964 novos apartamentos para aproximadamente 18 mil moradores.

Na época, a construtora Cury obteve 4 licenças, das 8 concedidas. Pelos cálculos da empresa serão mais de 3.000 unidades habitacionais entregues. O vice-presidente da Construtora Cury, Leonardo Mesquita, destacou que o Porto Maravilha é um ótimo local para os projetos da construtora, que vê na região inúmeros atrativos altamente benéficos para a qualidade de vida daqueles que ali residirão.

“Nós acreditamos no potencial residencial do Porto Maravilha, pois essa é uma região que tem todos os atrativos para proporcionar excelente qualidade de vida a seus moradores,” afirmou Leonardo Cury.

Leonardo ainda explica que o esvaziamento do Centro não FOI natural e sim atráves de proibições. “As antigas legislações acabaram coibindo uma vida urbana dentro desse eixo comercial. O Centro, porém, tem uma vocação residencial muito forte graças a toda infraestrutura que já está ali, em forma de serviços e aparelhos culturais”, conclui Mesquita.

Premiação

Além de restaurar a história do Rio, gerar novos empregos, morarias e uma melhoria de vida para a população, o Reviver Centro também gerou indicação em premiações internacionais. Em agosto, a cidade do Rio de Janeiro foi selecionada como finalista da Premiação C40 Cities Bloomberg Philanthropies Awards 2022, com o Plano Urbano Reviver Centro.

A premiação celebrou os projetos mais ambiciosos e impactantes do mundo no enfrentamento da crise climática. Concebido para promover a recuperação urbana, social e econômica da área central, o Reviver Centro foi um dos 20 projetos escolhidos pela premiação, que tinha como tema “Unidos na Ação”.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui