Candidatos a deputado de Lula no Rio de Janeiro em 2022

São muitos candidatos ligados ao petista, no entanto, o Conselho Editorial do DIÁRIO DO RIO escolheu dois nomes, que são Elika Takimoto e Lindbergh Farias

Foto: Ricardo Stuckert

DIÁRIO DO RIO certamente é o veículo que dá maior atenção para a eleição ao legislativo. Foram mais de 50 entrevistas entre os candidatos a deputado (estaduais e federais). Entendemos que o eleitor tem grande dificuldade para encontrar em quem votar e não por acaso nosso Conselho Editorial fez duas listas: em quem votar para deputado federal no Rio de Janeiro em 2022 e em quem votar para deputado estadual no Rio de Janeiro em 2022.

Mas há dificuldades maiores, e há aqueles que prefiram votar por temas. Por exemplo, a ligação com lideranças políticas. Uma das maiores do país, é claro, é o o ex-presidente Lula (PT). São muitos candidatos próximos do petista, no entanto, o Conselho Editorial do DIÁRIO DO RIO escolheu dois, que são Elika Takimoto (13021), estadual, e Lindbergh Farias (1300), federal.

Elika Takmito (13021)

Elika Takimoto é professora, escritora e política filiada ao Partido dos Trabalhadores. Graduou-se em Física pela UFRJ, onde também fez o mestrado em História das Ciências e das Técnicas e Epistemologia. Fez doutorado em Filosofia pela UERJ e é coordenadora de Física do Cefet.

Ela dá aula de Física no CEFET/RJ e agora quer fazer parte da ALERJ. Elika acredita que mais do que nunca o que precisamos é que pessoas que estejam na assembleia entendam sobre Educação e, por essas e mais tantas outras, se coloca como candidata.

Lindbergh Farias (1300)

Lindbergh Farias (PT-RJ)

Em 1992, Lindeberg obteve destaque no cenário nacional quando, enquanto presidente da União Nacional dos Estudantes, tornou-se um dos principais líderes do movimento estudantil dos caras-pintadas contra o então presidente Fernando Collor de Mello.

Após sair do movimento estudantil, foi eleito deputado federal por dois mandatos. Também foi eleito e reeleito prefeito do município de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Em 2010, elegeu-se senador pelo Rio de Janeiro.

Em 2014, concorreu ao governo do Rio de Janeiro pelo PT, ficando em quarto lugar, com dez por cento dos votos válidos. Em 2018, tentou a reeleição ao Senado mas ficou em quarto lugar e não foi eleito.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui