Candidatos a deputado dos direitos humanos no Rio de Janeiro em 2022

Os nomes escolhidos pelo DIÁRIO para representar essa categoria são Dani Monteiro (50050), estadual, e Talíria Petrone (5077), federal

Pessoas andam pelo centro do Rio de Janeiro | Foto: Rafa Pereira - Diário do Rio

DIÁRIO DO RIO certamente é o veículo que dá maior atenção para a eleição ao legislativo. Foram mais de 50 entrevistas entre os candidatos a deputado (estaduais e federais). Entendemos que o eleitor tem grande dificuldade para encontrar em quem votar e não por acaso nosso Conselho Editorial fez duas listas: em quem votar para deputado federal no Rio de Janeiro em 2022 e em quem votar para deputado estadual no Rio de Janeiro em 2022.

Mas há dificuldades maiores, e há aqueles que prefiram votar por temas. Por isso, o Conselho Editorial do DIÁRIO DO RIO também elegeu algumas listas, com pautas específicas, sempre formadas por dois nomes, um para estadual e outro para federal.

A pauta dos direitos humanos, tão distorcida no debate nacional, é de suma importância para a democracia. Os nomes escolhidos pelo Conselho do DIÁRIO para representar essa categoria são Dani Monteiro (50050), estadual, e Talíria Petrone (5077), federal.

Dani Monteiro (50050)

Nascida no Morro de São Carlos, Dani é a primeira da família a ingressar na universidade. É estudante cotista do curso de Ciências Sociais na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)

É feminista, além de militante por direitos humanos, direitos LGBT, direito à cidade. Também faz parte do movimento estudantil, do Movimento Negro Unificado (MNU) e, do coletivo RUA Juventude Anticapitalista.

Em sua primeira disputa eleitoral, em 2018, foi eleita deputada estadual com 27 mil votos, pela coligação PSOL e PCB.

Em 2021, foi eleita presidenta da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos e Cidadania da ALERJ.

Talíria Petrone (5077)

Filha de músico e de uma professora, Talíria nasceu na Ponta d’Areia, em Niterói. Foi na Zona Norte, no Fonseca onde passou a infância. Formada em História pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) é mestra em Serviço Social pela Universidade Federal Fluminense (UFF), é professora da rede pública de ensino.

Durante a faculdade, trancou o curso de História e foi a Portugal atuar como atleta profissional de vôlei. Retornou após dois anos.

Militante dos direitos humanos, dos direitos da mulher, do movimento negro e dos direitos LGBT há anos, disputou sua primeira eleição em 2012. Em 2016, buscou novamente a eleição, em uma decisão que envolveu a amiga Marielle Franco, onde ambas decidiram concorrer às Câmaras Municipais, Talíria em Niterói e Marielle no Rio. Ambas acabaram eleitas. Talíria recebeu 5.121 votos, o que fez dela a mais votada naquela eleição.

Em 2018, foi eleita para exercer mandato como deputada federal com 107.317 votos, a nona mais votada no estado.

Em 2021, assumiu a liderança da bancada do PSOL na Câmara dos Deputados.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui