Concessão do Canecão para a iniciativa privada é homologada

Empresas, que administrarão o espaço cultural por 30 anos, vão investir R$184,3 milhões no local; previsão de reinaugurado é em 2025

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Canecão já foi uma das principais casas de shows da cidade - Foto: Reprodução/Internet

Foi publicado no Diário Oficial da União desta quinta-feira, (16/03), a homologação da concessão do Canecão para o consórcio vencedor do leilão realizado no mês de fevereiro. O consórcio que poderá explorar a operação do espaço cultural é o Bônus-Klefer, constituído pelas empresas Bônus Track Entretenimento e Klefer Produções e Promoções.

As empresas ofereceram o valor de R$ 4,35 milhões e ganharam o direito de usar o espaço, que pertence à Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), por 30 anos.

Segundo informações oficiais, o consórcio vencedor deve demolir o prédio antigo e construir novas estruturas, incluindo um espaço cultural multiuso – que equivaleria ao antigo Canecão -, e uma área chamada Espaço Ziraldo. As empresas vencedoras terão que construir um restaurante universitário no campus Praia Vermelha da UFRJ, e dois prédios acadêmicos no mesmo campus. O investimento total do consórcio será de R$ 184,3 milhões.

No contrato ainda é descrito que a UFRJ poderá usar o espaço multiuso por 50 dias por ano e o Espaço Ziraldo por 270 dias.

Advertisement

Leia também

Terminal Gentileza começa a operar para população; veja detalhes

Pedro Paulo cada vez mais certo como vice de Eduardo Paes – Bastidores do Rio

O empresário Luiz Oscar Niemeyer, proprietário da Bonus Track, especializada na produção de eventos culturais, prevê que a nova casa de espetáculo – que vai ser reconstruída em outro ponto do campus – será aberta 24 meses após a assinatura do contrato. O parceiro do consórcio Bonus-Kleffer é a Klefer Entretenimento e Participações, que pertence ao empresário, e ex-presidente do Flamengo, Kleber Leite.

História

Construído em 1967, pelo empresário Mario Priolli, como uma grande cervejaria – por isso o nome “Canecão”. O projeto foi do arquiteto José Vasquez Ponte. Mas, o espaço ganhou outro rumo, uma força no cenário musical brasileiro, em 1969 após o histórico espetáculo de Maysa, marcando o retorno da cantora aos palcos.

Nos anos 1970, foi a vez de Chico Buarque, Vinícius de Moraes, Tom Jobim, Toquinho, Miúcha e tantos outros brilharem no palco do Canecão. Além de artistas internacionais. E até a banda carioca, Los Hermanos, fez apresentações, em meados dos anos 2000, no local.

Em 2009, entretanto, o espaço, após uma disputa judicial, passou a ser administrado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Concessão do Canecão para a iniciativa privada é homologada

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui