Will Smith, emancipação e o Cais do Valongo – Papo de Talarico

Emancipation Uma História de Liberdade de Will Smith
Will Smith tem ótima atuação (divulgação/Apple TV)

O que Will Smith tem a ver com o Cais do Valongo? Principal porto de entrada de africanos escravizados no Brasil e nas Américas, o Cais do Valongo, localizado na Avenida Barão de Tefé, no bairro da Saúde, Rio de Janeiro, recebeu cerca de um milhão de africanos escravizados em cerca de 40 anos. Dessa forma, esse local se tornou o maior porto receptor de escravos do planeta.

Na noite da última terça-feira (20/12), fui convidado para uma sessão especial do filme “Emancipation – Uma História de Liberdade”, em cartaz na Apple TV, com eficiente direção de Antoine Fuqua, protagonizado e produzido pelo astro Will Smith, que vive Peter, um homem escravizado, em 1863. Ao fim do filme, após algumas lágrimas, estava bastante emocionado.

O filme traz uma parte da história da escravidão nos Estados Unidos, mas faz lembrar o que se passou no Brasil e o Cais do Valongo. Há uma cena onde Peter (Will Smith) tem que jogar um senhor negro que desmaiou em uma vala para se juntar a outros corpos de pessoas que não aguentaram a crueldade que sofreram. Há muitas cenas fortes.

Ao sair, ouvi um colega dizer que a fotografia do filme é pretensiosa. Não, a fotografia é linda, espetacular, num sépia avassalador. As cenas nos pântanos, a forma como a cinematografia exalta a natureza que remete ao Deus de Peter é esplêndida. Também ouvi um rapaz falar que tinha muito clichê. Ah, nada como um clichê bem feito, e tal opinião subestima o trabalho primoroso. Afinal, torci muito pelo protagonista, do início ao fim. É difícil não se conectar com a luta de Peter. Ele demonstra resiliência, que é maior a partir de seus conhecimentos ancestrais, força e fé, muita fé. Aparentemente, seu Deus é o Deus cristão, ele até ora com passagens da bíblia, e tem diversos sinais da proteção divina durante sua jornada, de várias formas. Por outro lado, o filme também mostra como os escravizadores usavam outros trechos da bíblia para justificar a escravidão.

Facetas de ‘Emancipation’

“Emancipation – Uma História de Liberdade” chega a ser didático, e necessário, ao mostrar diversas facetas da escravidão, desde uma fazenda organizada até a desumanidade, passando pelo apagamento e até como os negros eram jogados na frente da guerra, sem preparo algum.

Pessoalmente, tenho antepassados próximos que foram escravizados. Meu pai sempre me contava a história de sua avó Bárbara. Saber disso marcou minha vida. A história que não sei da minha bisavó que foi escravizada. Mas que também foi livre, pois tinha uma carta de alforria que meu pai sempre dizia com tristeza que seu irmão mais novo tinha perdido. Ao ver o filme era impossível não pensar nela e imaginar quantos outros antepassados passaram por aqueles sofrimentos.

“Emancipation – Uma História de Liberdade” é baseado em uma história real, na foto de “Whipped Peter” (“Peter Chicoteado”, em português), tirada em 1863, que mostra as cicatrizes nas costas de um homem que passou pelos horrores da escravidão. O filme marca o retorno de Will Smith com muito esplendor, numa atuação comovente e uma mensagem atemporal. Acho ridículo esse cancelamento que um dos maiores atores do mundo sofreu por causa da situação do Oscar 2022, onde deu um tapa em Chris Rock. Will é um dos maiores atores do mundo e um símbolo de vitória – e liberdade.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui