Foto: Marcello Casal Jr/Agência Braisl

As eleições para governador do Rio de Janeiro em 2022 anda bem confusas, nem certeza que Claudio Castro (PSC) será candidato a reeleição, temos. Pela esquerda Marcelo Freixo (PSol) vem tentando reunir os partidos anti-Bolsonaro para uma frente única, mas não pode contar com seu próprio partido. Enquanto isso, a 1ª pesquisa para as eleições de 2022 no RJ tem como líder e vice líder 2 políticos que não serão candidatos a governador. Eduardo Paes e Anthony Garotinho.

E o partido que era mais forte na capital, o Democratas, viu suas estruturas abaladas desde que ACM Neto, presidente nacional do partido, traiu seu correligionário e então presidente do Congresso, Rodrigo Maia, na eleição para sua sucessão. O que acabou levando com que Paes deixe o partido pelo PSD, levando os principais políticos do DEM-RJ. O que deixaria o DEM na mão dos evangélicos, que se tornariam a maioria poderosa do partido.

Mas um movimento de ACM Neto com o ex-ministro da saúde, Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS), pode dar um nó na eleição de 2022 no Rio de Janeiro e no próprio Democratas. Hoje pré-candidato a presidente da República, Mandetta pode trocar seu domicílio eleitoral do Mato Grosso do Sul, onde se elegeu 2 vezes deputado federal, e tentar uma vaga de governador do Rio de Janeiro, ou mesmo uma vaga pelo Senado. Afinal, a candidatura para presidente vai se tornando um sonho cada vez mais distante. A informação é Blog do Noblat, no site Metrópoles.

A vida de Mandetta não está longe do Rio de Janeiro, ele se formou em medicina pela Universidade Gama Filho. E como muitos políticos do Rio de Janeiro, ainda é torcedor do Botafogo. E sua filha Marina Mandetta se formou em Direito pela UFRJ, e hoje advoga em escritório próprio no Leblon, formado apenas por mulheres.

5 COMENTÁRIOS

  1. Pode vir… a vergonha que vai passar acabará de vez com sua carreira política medíocre e corrupta. O povo de Mato Grosso do Sul que o diga. Esse cara é uma das maiores rejeições por lá.

  2. Sabe que a população do Mato Grosso do Sul não compra essa falácia de bom gestor, ponderado. Teve o oportunismo de fazer uma imagem a nível federal que não condiz com a percepção do seu Estado de origem. Mas é o jogo da Política e o RJ tem sido receptivo a pilantras “estrangeiros” desde os tempos de Brizola.

  3. Do jeito que o povo carioca gosta de um político bandido, esse genocida deve levar uns votinhos, esse genocida deveria ter vergonha na cara e sumir da vida pública! Que Deus tenha misericórdia de nós!

  4. Kkkkkk o q faz esse caipira lá do fim do mundo pensar q tem alguma chance?
    Acha q com sua cara de cantor brega de churrascaria ,consegue algo????Kkkkkkk
    Tão vagabundo qto o vagabundo da OAB!!!
    Que vão pra seus currais de origem,onde foram cagados,oops,paridos!!!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui