Foto Cleomir Tavares/Diario do Rio

A Orla Rio, que responde por quiosques no litoral carioca, emitiu um comunicando pleiteando junto à Prefeitura do Rio para que os quiosques se mantenham abertos durante o Toque de Recolher. De acordo com as medidas restritivas feitas por Eduardo Paees(DEM), os quiosques serão obrigados a fechar desta sexta-feira (05/03) até a próxima quinta (11/03).

De acordo com a Orla Rio, os quiosques atuam da mesma que bares e restaurantes (que poderão abrir, mas em horário reduzido), por estarem muito mais adaptados ao enfrentamento do vírus que alguns comércios e por não serem causadores de aglomeração na praia, e pede para que as unidades possam se manter em funcionamento.

A nossa principal preocupação é a preservação da vida. Vivemos um período crítico e sabemos que certas medidas restritivas são extremamente necessárias para o controle da evolução da pandemia. O que queremos é que os quiosques tenham a mesma isonomia dos bares e restaurantes que se encontram nos mesmos bairros por serem muito mais adaptados ao enfrentamento do vírus, estarem ao ar livre e não serem causadores de aglomeração na praia. Afinal, o fechamento dos quiosques não vai esvaziar as praias, que continuarão recebendo milhares de pessoas, que passarão a recorrer a serviços de entregas e ao comércio irregular caso queiram consumir. Para nós, essa restrição aos quiosques poderá piorar o problema pois irá trazer mais informalidade e desordem urbana. Acreditamos que, ao contrário, podemos contribuir para o uso seguro dessa área de lazer“, diz João Marcello Barreto, presidente da Orla Rio.

O comunicado conclui: Do Leme ao Pontal, funcionam 309 quiosques, que empregam cerca de 5 mil pessoas direta e indiretamente. Com a chegada da pandemia, a Orla Rio criou o projeto Recomeço, que preparou os quiosques para a reabertura e deu todo o suporte aos seus operadores. O resultado disso foi que apenas três dos 309 quiosques fecharam definitivamente. Com o novo decreto, que vigora a partir das 17h do dia 5 de março, os quiosques deverão ficar fechados, enquanto bares e restaurantes ficarão restritos para funcionar das 6h às 17h, com a circulação do público limitada a 40% da capacidade.

SindRio critica restrições

Por meio de nota oficial divulgada nesta quinta-feira (04/03), o Sindicato de Bares e Restaurantes do Município do Rio de Janeiro (SindRio) criticou o ”toque de recolher” implementado pela Prefeitura.

Segundo eles, a decisão do Poder Executivo Municipal faz desta quinta o ”pior dia desde o início da pandemia”. Além disso, o SindRio disse ”esperar que a Prefeitura tenha sensibilidade social e flexibilize o decreto o quanto antes”.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui