Quintino – Eduardo Paes vai realmente fazer internação compulsória dos usuários de drogas? Acho que não

Temos um prefeito que já foi, que já fez, mas que agora parece cada vez mais distante do que ele mesmo está cansado de saber que precisa ser feito.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Largo da Carioca - Foto: Rafa Pereira / Diário do Rio

Escrevi recentemente que acho que Eduardo Paes caminhou demais para esquerda e nesta terça-feira, 21/11, este mesmo prefeito diz que pediu ao secretário de Saúde, Daniel Soranz, um estudo para finalmente internar compulsoriamente os usuários de drogas que moram nas ruas. A decisão chega um pouco tarde – quase como chorar sobre o leite derramado – agora que a cidade está tomada por mendigos e cracudos, mas antes tarde do que nunca, até porque não há mal que dure para sempre.

Seu ex-secretário de Ordem Pública e atual inimigo político, Rodrigo Bethlem, lembrou que faziam o que é necessário até 2011 e que a correta ação parou depois da assinatura por Paes de um Termo de Ajustamento de Conduta com o Ministério Público, fato este que deveria ser revisto. Bethlem esqueceu de dizer que ele também assinou, mas isso é detalhe; ambos estavam com medo de uma multa maluca de milhões de reais que os procuradores ameaçaram cobrar deles por fazer o trabalho corretamente em prol do cidadão.

A decisão de Paes vem depois de mais alguns crimes terríveis cometido por esses mendigos e drogados: o estupro na calçada de uma moça vulnerável por um pedinte em Copacabana, o assassinato de um turista na praia do mesmo bairro por outro criminoso que tinha passado múltiplas vezes pela delegacia, além de vários e inúmeros outros casos de roubos e assaltos perpetrados pelos cracudos. Sem contar o fato de que se tornou notório discutir o câncer que se tornaram as cracolândias que se espalham pelas cidades e que o Poder Público (diz que) tenta inutilmente combater. Nada de novo, isso acontece há anos, o DIÁRIO DO RIO vem falando do perigo dos mendigos com suas facas, estupros e pequenos assaltos que podem levar a tragédias. Enquanto o ‘principal’ jornal da cidade chegou a noticiar que uma pedestre foi “cercada por vulneráveis” [sic] numa calçada da Zona Sul, aqui deixamos sempre claro que vulneráveis somos nós. Crimes e mais crimes ocorreram perpetrados pelos viciados que moram em nossas ruas e ocorrem agora enquanto você lê estas linhas. Agora, o prefeito finalmente informa que tomou uma decisão esperada há anos; talvez tarde demais, e infelizmente duvido que se tornará realidade. Mas torço.

Não faz o arroz com feijão, não fará o Croquembouche

Primeiro porque a secretaria de Ordem Pública nada faz nem mesmo para combater os camelôs clandestinos que infestam nossa cidade: basta observar que na Uruguaiana o mar azul de toldos dos vendedores de mercadoria falsificada e duvidosa retornou depois de 3 décadas. A presença desses vendedores ilegais está levando o comércio local à falência. Um Shopping na região chegou a fechar sua praça de alimentação por causa deles, e a quantidade de lojas vazias na rua só aumenta. Quem não faz o básico dificilmente conseguirá resolver algo muito mais difícil que é o problema dos moradores de rua viciados. Quem não consegue resolver uma conta de somar dois dígitos, saberá fazer a raiz quadrada de cinco dígitos? Não, não é possível.

Advertisement

Chegamos a acreditar no conto do vigário quando Brenno Carnevale disse que não tinha efetivo por causa do Crivella ter criado uma jornada de trabalho estúpida para os guardas. Apoiamos o retorno à jornada normal de trabalho. Os vereadores apoiaram. Meses se passaram, e, como previu Rogério Amorim, ninguém sabe onde estão os guardas; quase que diariamente vemos eles no Diário Oficial nomeados pra lá, pra cá, mas guarda na rua ninguém vê. Nada mudou; monumentos seguem depredados, camelôs seguem donos do espaço público e o comércio de rua segue falindo.

A outra questão é de perfil ideológico: a secretaria de Assistência Social está nas mãos do Partido dos Trabalhadores, mais especificamente de Adilson Pires. Ululante que eles são contra este tipo de ação, tão obviamente necessária, mas não faz parte do cerne da cartilha que eles seguem. Eles não estão nem aí pro turismo nem pro comerciante formal. A princípio não tem nada de errado nisso – cada um com sua prioridade – mas realizar o novo plano do Prefeito simplesmente vai contra aquilo que eles acreditam. Então, não vejo como Pires vá mandar sua equipe internar compulsoriamente algum drogado, atentando contra sua própria natureza política.

Leis e Operação

E o candidato a prefeito pelo Novo, Pedro Duarte, chamou atenção para mais alguns fatos:

  1. como conseguir operacionalizar a “internação compulsória”? Há leis federais sobre o assunto, muito engessadas.
  2. integrar médicos às equipes de abordagem nas ruas, para que possam avaliar os casos e dar laudo médico de internação (exigência legal);
  3. estruturar na rede municipal locais adequados para receber e tratar essas pessoas, o que não temos hoje.

Estamos há menos de um ano das eleições e Paes sente o bafo dos adversários de direita, Otoni de Paula, alguém do PL, Rodrigo Amorim e o próprio Duarte. Percebe que o carioca urge por choques de ordem urbana, um dos seus flancos mais abertos no momento. Ele sabe que Crivella destruiu a cidade mas também sabe que não fez quase nada pra resolver isso. E prometer algo e não cumprir, ou jogar a culpa depois que o Judiciário não deixou, que o Governo Estadual ou Federal não apoiou, não vai adiantar.

Até porque se a Guarda Municipal fizesse ao menos uma parte de seu papel, e lutasse contra a desordem urbana que invade nossa cidade, talvez alguns dos crimes não ocorressem. Ou se Paes estivesse pensando desde o início em hospedagem para os moradores de rua, ao menos para aqueles que trabalham ou estão em estado de extrema necessidade – são minoria os não viciados, mas eles de fato existem, o problema poderia estar menos grave. A ex-secretária Laura Carneiro chegou a propor alugar hotéis para colocar a população de rua, mas não saiu. A coisa poderia mesmo estar bem melhor, mas não está… e não vemos luz no fim do túnel além da promessa de um Prefeito que já fez, que já foi, mas que parece ter mudado de lado. Sabemos que ele quando quer mandar, manda, e ai de quem não obedece. Ficamos esperando a ordem. A cidade precisa.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Quintino - Eduardo Paes vai realmente fazer internação compulsória dos usuários de drogas? Acho que não
Advertisement

5 COMENTÁRIOS

  1. E só bla,bla,bla,bla,bla ação que e bom nada , Em época de eleição se promete de tudo ,agora a ação que e bom fica no hora veja . O povo carioca já esta cansado de ouvir promessas e nada de comprimento delas na verdade são todos iguais ,só querem e mamar nas tetas do se povinho .

  2. EM EPOCA PROXIMA DE CAMPANHA, ESTE TAL NERVOSINHO PROMETE TUDO.
    VAI FAZER SEZ ANOS QUE COMEÇOU OBRA NA AV BRASIL,COMEU A VERBA ATE HJ NADA TERMINOU. SÓ FUNCIONÁRIOS ATIVOS E INATIVOS VOTAM NELE DUVIDO QUE O POVO A MASSA VOTA NELE.,…!

  3. Paes é o prefeito mais atuante que o Rio já viu mas nada como a política de, um faz e outro desfaz a cada quatro anos, de acordo com as conveniências.
    São inúmeras as vertentes de problemas que um prefeito como ele carrega, ao assumir e receber uma cidade apedrejada e rota: primeiro, tem que fazer o minimamente possível pra reverter situações de funcionamento geral da cidade, como o transporte, por exemplo. E, enqto remenda um pedaço aqui, bota outro curativo ali, já se passaram 4 anos e o próximo, tenta desfazer o que o outro tentou reerguer – coisas inerentes ao jeito de fazer política … podre …
    Não culpo o atual prefeito, se não conseguir, visto que comprometimento ele tem – só lhe faltam tempo e parceria, em meio à complexidade enfrentada.
    Torço pra que consiga!!!

  4. Concordo plenamente com ás opiniões do Quintino,no início dá página,eu tenho a impressão quê,se não forem tomadas medidas urgentíssimas e doses muito amargas,o Brasil estará totalmente fadado ao fracasso e desintegração social, túdo começa com a praga do paternalismo,vindo do topo dás pirâmides dos Srs quê comandam o Brasil,em todas às esferas dê mandos e comandos, quando vemos autoridades dos altos escalões dê todas às esferas dê governos e até ONGs, setores empresariais e particulares do cotidiano brasileiro, envolvidos até o fio do cabelo em atividades criminais e excusas, é prá se perder ás esperanças, como um indivíduo condenado a Pena Máxima pôr têr cometidos crimes totalmente hediondos, e com ás progressões dê regimes e penas os delinquentes,saem pelas portas dá frente, é cumprimentados pelos responsáveis pelos presídios, como é tolerável um bando de delinquentes,em frente a uma instituição policial militar,depedrarem um veículo dê altos valores, e a guarnição policial militar inerte assistindo a destruição do veículo sem esboçar qualquer reação diante dos marginais, e mais os casos dê permitir o direito dê ir e vir, onde não se podem fazer uma espécie dê separatismos, separando uma faixa dás praias pára pessoas quê nitidamente estão alí pára se divertir, e não permitindo quê esse bando dê cracudos, delinquentes, batedores dê carteiras, ladrões dê celulares, pivetes, quê andam com facas, punhais,gilettes,cacos dê vidros dentre outros objetos cortantes e perfurantes,caminham pelas Areias dás praias na maior tranquilidade observando suas possíveis presas pára dá o bote,e pôr termos essas esdrúxula lei do ir e vir, ninguém pode intervir e barrar esses marginais delinquentes facínoras, e quê tocam o terror em todos quê estão curtindo um dia dê lazer, principalmente famílias com crianças pequenas, idosos, e pessoas com necessidades especiais, porquê não interessa aos defensores públicos, prefeitos, e autoridades responsáveis pelo turismo no Rio dê janeiro, fazer tipo uma medida provisória, dividindo sim Sr,a praia em setores,do bem e do mau, é só se vê pelas estampas modos dê vestimentas, modos dê condutas, quê se nota ás diferenças, entre o bem e o mau, quê têm quê ser separado sim Sr,ou quem contribuí com a arrecadação quê desenvolve o país e principalmente o Rio dê janeiro, quê é quase quê totalmente dependente dos turistas, deixará dê têr essas fontes dê arrecadação pura e simplesmente pôr praticarmos o paternalismo e o direito dê ir e vir, quê é ás brechas quê os marginais delinquentes,se aproveitam e se misturam com ás pessoas dê bem,e aí é um Deus nos acuda, quê é a hora quê os bandos dos arrastões aproveitam pára entrarem em ação,e porquê a falta dê prevenção já agora antes do início do verão,em todos os caminhos quê levam ás praias,em uma considerável distância, quê coloquem uma barreira policial militar, e todos os suspeitos dê serem maus feitores, e não adianta dizer quê isso é discriminação quê não é isso chama-se prevenção anti tragédias,e ao detectar certas figuras, quê os façam retornar pelo mesmo caminho em quê vieram, esses longos desabafos são exatamente pára alertar aos Srs administradores públicos, aos Srs dás seguranças públicas, e pessoas quê têm responsabilidades no bem estar social e na paz e sossego, quê intervenham agora enquanto está começando,ou o Rio dê janeiro vai a falência e carregará o Brasil junto,

  5. Bingo do Quintino:

    – Câncer
    – Camelotagem/camelô
    – Esquerda/esquerdista
    – Ululante
    – Pedro Duarte
    – Rodrigo Amorim

    Oras, mas o elogiadíssimo governador de SP bandeirante Tarcísio Freitas e o prefeito fantasma da cidade fazem o que em relação a uma cracolandia no centro de SP?

    Destesto o Paes, mas ao menos ele tenta e se movimenta. Muitas vezes coisas da alçada estadual e federal como segurança pública são atribuídas a ele.

    Obviamente ninguém gosta ou deseja ter essa situação colateral de política econômicas malfadadas na sua cidade. Ao contrário do alcaide (bingo!) torço de verdade pra resolução desse problema de fato.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui