Maricá entra na rota do turismo de luxo mundial com megaempreendimento e hotéis cinco estrelas

Investimentos chegam a ordem de R$ 11 bilhões. Expectativa é de que a cidade possa receber mais de 300 mil turistas por ano

Depois de intensas batalhas judiciais, a cidade de Maricá, na região metropolitana do Rio está prestes a dar uma guinada em sua infraestrutura turística. O município começou as obras de megaempreendimentos que prometem tranformar a região em um dos destinos mais visitados do país. O pontapé inicial foi dado nesta segunda-feira (03/04), conforme informou o jornal O Globo, com a construção do Maraey, futuro ecorsort sustentável que terá quatro hotéis cinco estrelas e moradias de alto padrão numa restinga entre o mar e a lagoa Costa do Sol.

Após 13 anos de disputas nos tribunal envolvendo questões ambientais que travaram a iniciativa, a empreitada chega com a promessa de te uma Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN), a instalação de um Centro de Referência Ambiental em parceria com cinco universidades públicas e a proteção de uma espécie endêmica da região, conhecida como peixe das nuvens. 

Além da responsabilidade ecológica, a implementação do projeto prevê investimentos privados de cerca de R$ 11 bilhões, com arrecadação de impostos de R$ 7,2 bilhões e geração de mais de 56.000 empregos durante os primeiros 14 anos (construção e consolidação de vendas). Os executivos do Maraey também garantem que haverá compromisso com a parte social, ao adotar medidas como a regularização fundiária da comunidade de pescadores de Zacarias, com a entrega dos títulos de propriedades às 200 famílias locais. Também está previsto o incentivo à retomada da pesca artesanal na região.

Segundo a proposta, apenas 6,6% do terreno, dentro da Área de Proteção Ambiental (APA) de Maricá, estarão ocupados por edificações ao fim das obras, o que representaria metade do permitido pelo plano de manejo da região. A área permanecerá aberta à população, incluindo mais de 20 quilômetros de ciclovias. E as vias principais que cortarão o complexo serão doadas ao município, para se tornarem novas ligações entre os bairros do Centro, de Itaipuaçu e da Ponta Negra.

Nestas primeiras etapas de obras, ocorrerão intervenções como resgate e manejo de flora e fauna, implantação do eixo viário, construção de infraestruturas de saneamento, iluminação, telecomunicações e gás, além de paisagismo. Em paralelo, serão concretizadas ações sociais e ambientais, como a regularização fundiária de Zacarias e a criação da RPPN, com quase 440 hectares, a quinta maior do Brasil em área de restinga.

A construção dos três primeiros hotéis terá início até o fim do ano. No total, serão 1.100 quartos. Os três serão geridos pela Marriot Internacional. Um deles marcará a chegada à América do Sul da bandeira Ritz-Carlton Reserve, considerada uma das mais exclusivas do mundo. Outro será um resort all inclusive do JW Marriott. E o terceiro será o Rock In Rio Autograph Collection, o primeiro temático do festival. Um dos hotéis cinco estrelas do empreendimento será o Maraey Golf Resort, que contará com um campo de 18 buracos distribuídos em 70 hectares, dentro de todas as especificações para receber competições oficiais internacionais.

Na esfera residencial, é esperada a construção de mais de 8 mil casas. A ideia é erguer um bairro inteligente em Maricá, com tecnologias da informação e comunicação implementadas em parceria com a Siemens, e mobilidade sustentável, com mais da metade da frota que circulará no complexo formada por veículos elétricos ou híbridos: há um acordo com o BMW Group Brasil para incentivar esse transporte. O complexo contará, ainda, com uma universidade de hotelaria e alta gastronomia gerida pela mais reconhecida bandeira internacional do setor, além de um centro técnico de formação, em parceria com a Prefeitura de Maricá, para qualificação da população. Em seu componente residencial, o empreendimento prevê diversas tipologias de uso.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui