Pastor Everaldo | Foto: Reprodução/TV Globo

A manhã desta sexta-feira (28/08) começou agitadíssima no Rio de Janeiro. Além do afastamento de Wilson Witzel do comando do Poder Executivo Estadual, determinado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), a Polícia Federal (PF), através da Operação Tris in Idem, prendeu o Pastor Everaldo Pereira, presidente nacional do Partido Social Cristão (PSC) – o mesmo de Witzel.

Por volta das 06h, policiais federais e uma representante da Procuradoria-Geral da República (PGR) chegaram ao apartamento do pastor, no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio. De lá, Everaldo saiu em um carro às 07h45. Cerca de 40 minutos depois, ele já estava na sede da PF, na Praça Mauá, na região central da cidade.

A prisão de Everaldo acontece devido à citação na delação premiada de Edmar Santos, ex-secretário de Saúde do RJ. Segundo ele, preso no dia 10/07 e solto a mando do próprio STJ em 07/08, o pastor era influente nas tomadas de decisão no Palácio Guanabara, sendo o ”comandante” da saúde no estado. Também foram presos Filipe Pereira, assessor especial de Witzel, e Laércio, ambos filhos de Everaldo.

Quem é o Pastor Everaldo Pereira

Nascido em Acari, na Zona Norte da capital fluminense, Pastor Everaldo tem 64 anos. No RJ, foi secretário da Casa Civil entre janeiro de 1999 e dezembro de 2002, durante a gestão de Anthony Garotinho.

Nas eleições de 2014, concorreu à Presidência da República, ficando em 5º lugar no primeiro turno, com 780.513 votos (0,75% do total). À época, Everaldo era pastor da Assembleia de Deus do Ministério Madureira.

Em 2017, isto é, 3 anos depois de sua candidatura à Presidência, o pastor foi delatado por um executivo da Odebrecht. Segundo o funcionário, a empresa havia repassado R$ 6 milhões para a campanha de Everaldo para que ele ajudasse a candidatura de Aécio Neves pelo Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB).

Pastor Everaldo, por sua vez, se defendeu argumentando que sua campanha foi ”bastante honesta, gastando somente de R$ 1,4 milhão”. Além disso, de acordo com ele, as doações ”respeitaram a legislação vigente”.

Outro fato curioso sobre Everaldo é que, em 2016, ele foi o responsável por batizar o presidente Jair Bolsonaro – então deputado federal – nas águas do Rio Jordão, localizado na fronteira entre Israel e Jordânia.

A manhã de hoje foi dura para a família Pereira. Além do Pastor Everaldo, também foram presos seus dois filhos, Filipe e Laércio



Toda manhã o resumo do Rio de Janeiro

Raphael Fernandes

Raphael Fernandes é jornalista, baixista e apaixonado por futebol. Integrante do programa

3 COMENTÁRIOS

  1. […] A mando do STJ, Wilson Witzel foi afastado por 180 dias do cargo de governador do Rio de Janeiro devido a suspeitas de irregularidades cometidas durante o enfrentamento à pandemia do Coronavírus. Ele foi delatado pelo ex-secretário estadual de saúde Edmar Santos, que também fez acusações contra o Pastor Everaldo Pereira, a quem chamou de ”chefe da saúde” no RJ. Este, inclusive, foi preso nesta manhã. […]

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui