Claudio Castro se filiará ao PL e mudará secretário de Educação

Claudio Castro já acertou filiação com PL, e deve trocar secretário de Educação pelo ex-deputado Alexandre Valle

Acabou a novela de qual partido se filiaria o governador Claudio Castro, a única coisa que era certa, é que deixaria o PSC assim que acabasse o processo de impeachment de Wilson Witzel. Afinal, o partido está queimado desde as ações que levaram a prisão do presidente nacional do PSC, Pastor Everaldo.

As apostas mais altas iam para o PSD, mas quem acabou se filiará ao partido foi o prefeito do Rio, Eduardo Paes. Partido também que se caminha para uma postura de independência a oposição ao presidente Jair Bolsonaro. Depois foi comentado o Progressistas e mesmo o Democratas, partido que fica sem grandes lideranças no estado do Rio de Janeiro.

Mas nos últimos dias, começou-se a especular fortemente o Partido Liberal, que tem pouquíssimo de Liberal. O PL já tem 2 dos 3 senadores do Rio de Janeiro, nenhum eleito pelo partido, Romário que foi eleito pelo PSB e Portinho, suplente de Arolde de Oliveira, saiu do PSD pelo PL. E foi neste partido que Claudio Castro decidiu que chamará de seu e de onde poderá ser candidato a reeleição em 2022.

De acordo com Agenda do Poder, uma reunião na sede nacional do PL, na Asa Sul, em Brasília, com o presidente nacional do partido, Valdemar da Costa Neto (que mesmo preso no processo do mensalão continuou a liderar o partido), Castro afirmou que está comprometido em transferir do PSC para o PL, e levando alguns políticos juntos com ele.

Valdemar prometeu a Claudio Castro a presidência do PL no Rio de Janeiro, mas ele teria de se licenciar da presidência por conta das funções de governador, e deixaria a administração com o atual presidente do partido no RJ, deputado federal Altineu Côrtes, que passaria a ser vice-presidente. Este chegou a ser secretário de meio ambiente na gestão de Witzel, e indicou seu primo, Fabio Coutinho como secretário de habitação no governo Paes, não durou 12 dias e perdeu o cargo por não cumprir as metas éticas do atual governo municipal.

O anúncio oficial da filiação deve ser feito na próxima semana, em ato previsto para o Rio de Janeiro, numa festa que não só marcaria a mudança para a nova casa como também cumpriria o objetivo de apresentar a ”tropa” com a qual o governador se lançará na disputa pela reeleição de 2022.

Além dos 2 Senadores, e de Altineu Côrtes na Câmara Federal, o PL tem outros 3 deputados, Gelson Azevedo, Luiz Anônio Corrêa e Soraya Santos. Na Câmara dos Vereadores do Rio tem apenas 2 vereadores Luciano Medeiros e o vice-presidente do Flamengo, Marcos Braz. Já na Alerj, o mais importante para Castro, apenas Manoel Brazão foi eleito pelo PL, mas o governador deve levar junto os Márcio Pacheco (PSC), Rodrigo Amorin (PSL), Alexandre Knoploch (PSL) e Rodrigo Bacelar (Solidariedade) . Amorim, ressalte-se, foi o deputado estadual mais votado em 2018.

E o PL dará uma bela abocanhada no Governo do Estado, vai tirar o atual secretário de Educação, Comte Bittencourt (Cidadania), e da cota pessoal do governador, e colcoará o ex-deputado Alexandre Valle, com base eleitoral em Itaguaí. Vale lembra que Comte entrou no lugar de Pedro Fernandes, que tinha sido preso. E agora, o mesmo Fernandes, pode ser candidato a deputado federal pelo PL de Castro

Advertisement

1 COMENTÁRIO

  1. Sem contar que o Castro vai ter apoio de um cidadão meio esquisito, mas que tem muita força no interior do estado.

    O LADRÃO honesto ANTONY GAROTINHO que é fraco na Capital e no grande Rio,mas é fortíssimo no interior do estado.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui